Segurança do Paciente: Realidade de Todos

Receber uma assistência à saúde de qualidade é direito de todos os indivíduos. Para tanto, os serviços de saúde devem oferecer uma atenção que seja efetiva, eficiente, segura e que satisfaça as necessidades do paciente ao longo de todo o processo.

Para que a Segurança do Paciente seja estabelecida nos serviços de saúde é de caráter mandatório o pleno envolvimento tanto dos gestores locais quanto dos profissionais dos serviços de saúde, pacientes e também dos acompanhantes, além do engajamento político por parte do governo, agências reguladoras e empresas da área da saúde, de forma integrada. Isto cria o arcabouço necessário, mas não suficiente, para a criação definitiva da cultura de Segurança do Paciente, sendo, portanto, ainda preciso executar algumas atividades primordiais, tais como:

1 – Implantar a Gestão de Risco e de Núcleos de Segurança do Paciente nos estabelecimentos de saúde;

2 – Desenvolver protocolos nos serviços de saúde, como por exemplo os protocolos de Identificação do Paciente, Prática de Higiene das Mãos, Segurança Cirúrgica, Prevenção de Quedas e de Lesão por Pressão, Uso e Administração de Medicamentos e Segurança na Prescrição;

3 – Implantar a Notificação de Incidentes, o que permite conhecer os incidentes que ocorrem nos serviços de saúde e propor medidas para prevenção de incidentes semelhantes;

4 – Envolver pacientes e familiares nas ações de Segurança do Paciente. Um paciente mais comprometido com sua saúde é um paciente que ajuda a prevenir incidentes relacionados à assistência à saúde;

5 – Fomentar a inclusão do tema Segurança do Paciente no ensino técnico, de graduação e pós-graduação na área da saúde;

6 – Alavancar pesquisas em torno do tema Segurança do Paciente. As pesquisas naturalmente criam e disseminam conhecimento sobre o tema, além embasar cientificamente as tomadas de decisões dentro das instituições de saúde.

Referências

1 – Brasil, Ministério da Saúde. Portaria nº 529, de 1 de abril de 2013. Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). 2013 Abril.

2 – Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Pacientes pela segurança do paciente em serviços de saúde: Como posso contribuir para aumentar a segurança do paciente? Orientações aos pacientes, familiares e acompanhantes. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2017.

Ana Carolina Cardoso Dantas —

  • Enfermeira, Mestranda em Segurança do Paciente pela Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein.
  • Gestora da Qualidade em Saúde pela Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein.
  • Avaliadora da Organização Nacional de Acreditação – ONA.
  • Especialista em Oncologia e Tratamento Antineoplásico pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Expertise em elaboração, implantação e reestruturação de processos de gestão da qualidade, segurança do paciente, planejamento estratégico, gestão clínica e administrativa de serviços de saúde.